Procedimentos

Embolização de Aneurisma Visceral

Atualmente com o aumento do número de exames de diagnóstico por imagem realizados em caráter de rotina na população, tem-se verificado um aumento no diagnóstico de aneurismas viscerais, principalmente aneurismas das artérias esplênica, hepática, renal e mesentérica, em pacientes assintomáticos.

Aneurismas viscerais muitas vezes devem ser apenas acompanhados, sem necessidade de intervenção, devendo ser levado em consideração para a decisão terapêutica o tamanho do aneurisma e os sintomas apresentados pelo paciente.

Quando houver necessidade de tratamento este pode ser realizado pela via endovascular, havendo uma gama de diferentes abordagens através deste método, que irão variar caso a caso, exigindo uma completa avaliação de exames de imagem prévios, adequados para estudo preciso de cada caso e a escolha da melhor forma de tratar esta complexa patologia.

A embolização de aneurismas é uma opção segura e eficaz, que permite rápida recuperação do paciente e retorno precoce a suas atividades, dispensando a necessidade de cirurgia.

endo10
Presença de aneurisma na artéria mesentérica inferior.
endo11
Aspecto após embolização, com preservação dos vasos adjacentes.