Pular para o conteúdo

Blog

voltar

EMBOLIZAÇÃO DE PRÓSTATA

RELATO DO CASO

Paciente, masculino, 79 anos, com Hiperplasia Prostática Benigna, apresentando sintomas obstrutivos do trato urinário e necessidade de uso permanente de sonda vesical de demora há 6 meses. Paciente já submetido a ressecção de próstata transuretral (RTU), com retorno dos sintomas.

Apresentou diversas internações hospitalares devido a quadro de infecção urinária, inclusive com bactérias multiresistentes e quadro de trombose venosa profunda do membro inferior esquerdo com necessidade de uso de anticoagulantes.

Após avaliação multidisciplinar, considerando-se quadro clínico atual e comorbidades do paciente (Enfisema pulmonar, hipertensão arterial), foi indicada a embolização das artérias prostáticas.

Foi realizada a embolização das artérias prostáticas, com sucesso, com permanência de 2 horas em sala de recuperação e retorno para leito de enfermaria.

 

embolização-próstata_foto2          embolização-próstata_foto1

 

DISCUSSÃO

O homem durante o transcorrer de sua vida pode desenvolver sintomas obstrutivos no trato urinário devido ao crescimento do tecido prostático, o que chamamos de Hiperplasia Prostática Benigna. O aparecimento desses sintomas podem começar a partir dos 40 anos de idade, sendo mais frequente aos 60 anos, onde 50% dos homens nessa faixa etária são acometidos.
Os sintomas se caracterizam por jato urinário fraco, maior frequência de idas ao banheiro, dificuldade para urinar e até episódios de perda de urina. Dependendo do grau de sintomas, tamanho da glândula e impacto na qualidade de vida, o médico urologista escolhe o tratamento ideal para cada paciente, podendo variar de uso de medicamentos a cirurgias. A Embolização das Artérias da Próstata ou Embolização de Próstata é uma nova forma de tratamento para os pacientes que apresentam sintomas do trato urinário inferior, devido à obstrução prostática. Através de uma punção na artéria femoral (na região da virilha), inserem-se cateteres que navegam até as artérias nutridoras da próstata e injetam-se substâncias que promovem a obstrução do fluxo, levando assim a diminuição da próstata e consequente liberação do jato urinário.
Esse tratamento, liberado pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), só pode ser realizado pelo médico com especialização em radiologia intervencionista, com capacitação específica para essa técnica. O procedimento vem para se unir aos tratamentos tradicionais, a fim de beneficiar um maior número de pacientes. Vale salientar que o paciente deve sempre ser avaliado previamente pelo médico urologista, já que nem todos os pacientes são candidatos à embolização. Hoje, no Sul do Brasil, a Intervir é a única equipe credenciada junto ao CFM para a realização da Embolização das Artérias Prostáticas.
A Embolização pode ser utilizada em pacientes com próstatas grandes (maiores de 100 gramas), pacientes fazendo uso de antiagregantes ou anticoagulantes e pacientes com alto risco cirúrgico, devido a outras condições clínicas.

Embolização de Próstata

O homem durante o transcorrer de sua vida pode desenvolver sintomas obstrutivos no trato urinário devido ao crescimento do tecido prostático, o que chamamos de Hiperplasia Prostática Benigna. O aparecimento desses sintomas podem começar a partir dos 40 anos de idade, sendo mais frequente aos 60 anos, onde 50% dos homens nessa faixa etária são acometidos.

Os sintomas se caracterizam por jato urinário fraco, maior frequência de idas ao banheiro, dificuldade para urinar e até episódios de perda de urina.

Demonstração das alterações ocorridas na bexiga pelo crescimento da próstata.

Dependendo do grau de sintomas, tamanho da glândula e impacto na qualidade de vida, o médico urologista escolhe o tratamento ideal para cada paciente, podendo variar de uso de medicamentos a técnicas cirúrgicas.

A Embolização das Artérias da Próstata ou Embolização da Próstata é uma nova forma de tratamento para os pacientes que apresentam sintomas de trato urinário inferior, devido à obstrução prostática.

Através de uma punção na artéria femoral (na região da virilha), inserem–se cateteres que navegam até as artérias nutridoras da próstata e injetam-se substâncias (esferas de resina acrílica biocompatíveis), que promovem a obstrução do fluxo, levando assim a diminuição da próstata e consequente liberação do jato urinário.

Desenho esquemático do trajeto para a embolização.

Esse tratamento, liberado pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) para alguns centros cadastrados no Brasil, só pode ser realizado pelo médico com especialização em radiologista intervencionista, com capacitação específica para essa técnica. O procedimento vem para se unir aos tratamentos tradicionais, a fim de beneficiar um maior número de pacientes. Vale salientar que o paciente deve sempre ser avaliado previamente pelo médico urologista, já que nem todos os pacientes são candidatos a embolização. Hoje, no Sul do Brasil, a Intervir é a única equipe credenciada junto ao CFM para a realização da Embolização das Artérias Prostáticas.

Essa técnica se caracteriza por ser realizada em regime ambulatorial, não havendo necessidade de internação hospitalar, voltando mais rápido às atividades habituais e não gerando impacto na função sexual do paciente. Além disso, a Embolização pode ser utilizada em pacientes com próstatas grandes (maiores de 100 gramas), pacientes fazendo uso de antiagregantes ou anticoagulantes e pacientes com alto risco cirúrgico, devido a outras condições clínicas.