Procedimentos

Quimioembolização Hepática

A quimioembolização hepática é um tratamento que consiste em administrar um agente quimioterápico contra o câncer do fígado diretamente no tumor. Tal procedimento é feito mediante a colocação de cateteres dentro da artéria que irriga a lesão, seguido da liberação do quimioterápico diretamente nela, provocando também uma injúria isquêmica da mesma.

Ressonância demonstra volumoso tumor hepático.

A injecão do quimioterápico, que segue direto para dentro da neoplasia, aumenta muito a concentração deste em seu interior (cerca de 10-25 vezes) quando comparado com o tratamento de quimioterapia convencional, e, portanto melhorando bastante a eficácia e reduzindo sobremaneira os efeitos colaterais da quimioterapia.

O procedimento é realizado em ambiente hospitalar, na sala de hemodinâmica, por médico especializado (radiologista intervencionista). É feito um pequeno corte (cerca de 2mm) na região da virilha, através do qual é inserido um cateter pela artéria femoral, que passa nesta região. Após é realizado o cateterismo da artéria hepática e posteriormente dos ramos nutridores do tumor com posterior injeção de partículas junto com quimioterápico. O paciente permanece por 24 horas internado, podendo apresentar náuseas, vômitos, dor e desconforto abdominal.

onco15
Arteriografia inicial com importante vascularização do tumor hepático antes da quimioembolização e ao lado, resultado imediatamente após procedimento, com completa desvascularização tumoral.

Sua principal indicação é no tratamento da neoplasia primária do fígado (hepatocarcinoma), mas eventualmente pode ser indicada também no tratamento de metástases hepáticas de câncer de colón, tumor carcinóide, câncer de mama, entre outros.

Controle por Ressonância evidencia necrose tumoral sem realce ao meio de contraste após quimoembolização.